Your Japanese name

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Entrevista a Li Shaoran! *-* pt2

Syaoran massageando a bochecha:

- Isso doeu viu?

- Gomen ne, eu não pude resistir, vc é muito fofinho sabia?

- E..e...e...eu num...num...não sou não!

(Precisavam ter visto o incrível pimentão humano!)

- Ta Li-kun, relax... Agora vamos para a segunda parte da entrevista. Vamos falar um pouco mais de você?

- Não outro assunto mais interessante não? ¬¬

- Oras o entrevistado aqui é você.

- ¬¬’

- ^^ ’

- Tá, o que mais você quer saber?

- Fale de sua família.

- Bem, antes vir para Tomoeda eu morava com minha mãe e minhas irmãs.

- E o seu pai?

- Morreu quando eu era bem pequeno.

- Ah. Anteriormente você havia dito que tinha irmãs, quantas são.

- São quatro, todas mais velhas.

- OMG! E eu achava que na china só podia ter um filho.

- Não na época em que elas nasceram.

- Faz sentido. Mas, e então como elas são?

- São muito tagarelas, atacam qualquer coisa que seja miúda e fofa. Pense e um ser desastrado e eleve por quatro vezes, são as minhas irmãs.

- Ah ^^ impressionante. E a sua mãe?

- Ah ela é diferente, é bastante séria e rígida... as vezes ela me medo, mas eu sei que no fundo ela sempre foi e é uma boa mãe, só não gosto muito quando ela pede os meus boletins escolares.

- Como era a sua vida em Hong Kong?

- Rigorosa. Eu estudava na escola, aprendia magia e praticava artes marciais.

- Um tanto sem graça?

- O que disse?!

- Nada! É ruim morar sozinho?

- Não. Tem suas vantagens.

- E não tem nenhuma dificuldade?

- Não. Desde de cedo me ensinaram a me virar sozinho, desde então já me acostumei.

- Gostaria de lhe perguntar uma coisa que eu queria saber?

- O quê?

- Quem são os Li?

- Uma família de feiticeiros muito antigos e tradicionais da China. Se bem que hoje em dia já são poucos os Li que possuem poderes mágicos, como eu e a minha mãe, por exemplo.

- Você sente falta de lá?

- É um pouco.

- E a Meiling?

- É uma prima minha, ela esteve aqui em Tomoeda há alguns meses, ela gosta de viver grudada em mim... mas apesar de tudo ela é uma pessoa normal, eu acho.



- É verdade que ela é sua noiva?

- Noiva? Não... é coisa da cabeça dela! Na verdade foi uma promessa que fizemos, ela pelo menos, quando éramos pequenos. Ficaríamos juntos até o dia em que eu encontrasse alguém que eu gostasse.

- Do contrário?

- Eu teria que casar com ela – ele fez uma careta.

- Entendo a sua situação.

- ¬¬

- ^^ Que tal mais uma pausa?

- Hã? Mais uma?

- É?

- Que saco! Isso vai demorar muito?

- São só mais dois blocos de perguntas ^^

- TUDO ISSO!

- Li-kun, não seja complicado...

- L
- ^^ Eu já disse que você é um fowfo!

- #vermelho#

Agora nós estávamos no terceiro bloco da entrevista.



- Li-kun você é rápido?



- Sou. Eh, quero dizer como assim?



- Jogo rápido. Eu falo uma palavra e você me diz o que ela te lembra.



- Ta, OK.



- Podemos começar?



- Sim.



- Muito bem. Um esporte?



- Futebol.



- Matéria favorita?



- Matemática e Ed. Física.



- Número?



- Treze.



- Clow?



- Estranho.



- Yamazaki?



- Mentiroso.



- Kaho Mizuki?



- Não gosto dela.



- Jogador de futebol?



- Ronaldo.



- Uma frase?



- “Os homens de poucas palavras são os melhores”.



- Agelina Jolie?



- Muito bocuda!



- Cor?



- Verde.



- Mamãe?



- Hum... elegante...



- Meiling?



- Obsessiva demais.



- Kero?



- Um baita guloso.



- Touya?



- Um baka.



- Yukito?



- Ele é legal ^^



- Yue?



- É meio esquisito.



- Kérberos?



- Mesma coisa que o eu disse do boneco, só que em maior tamanho.



- Eriol?



- Ri de mais pro meu gosto. Não gosto do jeito que olha a Sak... deixa pra lá!



- O.O



- EU DISSE DIXA PRA LÁ!



- Ciúmes?



- NÃO!



- Ta bom, o que você acha do uso de células tronco?



- Escuta aqui! Isso é algum tipo de piada? õ.O



- Brincadeirinha, por fim a última: Sakura?



Li ficou furiosamente vermelho.



- E..e...e...e..e...e...e..ela.......é...é....é....b...bo....bon...bonita....quero dizer não! Não era isso que eu i..i..i.ia di...di...di...dizer.... ahhhhh! Esquece!



De repente ele se levantou do sofá e andou de um lado para o outro enquanto bagunçava ainda mais os cabelos.



- Por que eu tenho que pensar nela! Só de lembrar eu gaguejo! Que droga!



- Li-kun?



- QUE É?



- O.o’ calma! Eu só ia perguntar se você aceita fazer uma pausa?



- Como quiser!



- Aonde fica o banheiro Li-kun? – preciso fazer o n°2.



- No corredor à direita.



(Ninguém merece...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário